fields

O PIB do setor agropecuário foi o único a apresentar crescimento em 2015, com avanço de 1,8% na comparação com 2014. Apesar do resultado positivo no PIB agropecuário, o crescimento foi o pior resultado desde 2012. Dentre as principais culturas, a soja foi a que apresentou maior crescimento, alta de 11,9%, seguido pelo milho, alta de 7,3%. Com relação às que afetaram negativamente o PIB, podemos destacar as culturas do café -5,7%, laranja -3,9% e trigo -13,4%.

image (36)

A produção de soja pode ser considerada um dos principais drivers para o crescimento do PIB do ano passado, tendo apresentado crescimento de 6% na área plantada em 2015 em comparação com 2014. Os bons preços praticados no mercado doméstico, com a desvalorização cambial, deverão manter a produção de soja em alta em 2016, podendo superar 100 milhões de toneladas na safra 2015/16. Com a colheita de soja a todo vapor, esperamos que a oleaginosa traga resultados positivos para o primeiro trimestre de 2016.

Apesar do milho ter impacto positivamente o PIB agropecuário de 2015, devido aos resultados da segunda safra, ou safrinha, deverá pesar negativamente no primeiro trimestre de 2016 dada a possibilidade de recuo da produção na primeira safra, com expectativa de queda de 3,02%, segundo o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA).

Dentre os fatores que promoveram a desaceleração do PIB agropecuário em 2015, destacamos os atrasos na liberação de crédito, que atrasou o plantio em algumas regiões. Além disso, também ressaltamos as adversidades climáticas devido ao fenômeno “El Niño”, que resultou em seca em algumas regiões e excesso de chuvas em outras. Dentre as culturas que apresentaram recuo na produção, o trigo foi o mais expressivo diante a queda na área plantada. A produção de café também apresentou recuo expressivo, dada à retração na produção de café canephora, afetada pela ausência de chuvas no Espirito Santo, principal estado produtor. A produção de café arábica, por outro lado, apresentou retração menos intensa (-1,1%). A produção de laranja tende a continuar recuando em 2016, uma vez que, diante os altos custos de produção da fruta e forte incidência de doenças, os produtores estão desistindo de manter a cultura.  image (37)

Com relação à silvicultura e a pecuária, avaliamos que a recessão econômica poderá trazer um maior peso esse ano, pressionando negativamente o setor de embalagens e o consumo de carnes, principalmente no que tange às de maior valor agregado como a bovina, o que poderá resultar em uma redução na quantidade de animais abatidos. Porém, no geral, esperamos que o PIB da Agropecuária apresente avanço de 1,6% em 2016, sendo novamente o único componente positivo pelo lado da oferta.

Leia o relatório completo aqui!


 

Parallaxis Consultoria | parallaxis.com.br – R. São Bento, 329 – Cj. 94 – São Paulo, SP
Tel: +55-011-3101-1368
Research Macro: Rafael Leão, Diego Machado, Fábio Ralston e Klaus Troetschel.
Disclaimer:
Este relatório foi preparado pela Parallaxis Consultoria e é distribuído apenas para clientes, com a finalidade única de prestar informações sob indicadores econômicos em geral. Não possuindo a Parallaxis Consultoria qualquer vínculo com pessoas que atuem no âmbito das companhias analisadas, assim como a empresa não recebe remuneração por serviços prestados ou apresenta relações comerciais com as companhias analisadas. Apesar de ter sido tomado todo o cuidado necessário de forma a assegurar que as informações no momento em que as mesmas foram colhidas, a precisão e a exatidão de tais informações não são por qualquer forma garantidas e a Parallaxis Consultoria por elas não se responsabiliza. Os preços, as opiniões e as projeções contidas nesse relatório estão sujeitos a mudanças a qualquer momento sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. Este relatório não pode ser interpretado como sugestão de compra ou de venda de quaisquer ativos e valores imobiliários. Este relatório não pode ser reproduzido, distribuído ou publicado por qualquer pessoa, para quaisquer fins.